sexta-feira, dezembro 31, 2010

Data para o jogo da Taça

A Briosa vai defrontar o U. Madeira para os oitavos-de-final da Taça de Portugal, no dia 12 de Janeiro, quarta-feira, pelas 15:00, no Estádio Finibanco Cidade de Coimbra.

domingo, dezembro 26, 2010

José Guilherme

"É um prazer enorme treinar um clube com este carisma e tradição!"
José Guilherme

É o novo líder da Briosa. Segundo consta no site oficial, será amanhã (27 de Dezembro) apresentado como novo treinador oficial da Académica, por volta das 12h30 na sala de imprensa do Estádio Cidade de Coimbra.

José Guilherme começou a sua carreira em Esmoriz, trabalhou recentemente com Carlos Queiroz, na equipa técnica do Campeonato do Mundo de 2010 na África do Sul, tendo passado também pelo Sporting de Espinho e pela formação do Futebol Clube do Porto, onde foi campeão nacional por quatro vezes. Terá como adjunto José Alberto Costa (ex-jogador da Académica) e fazem ainda parte da equipa técnica Virgílio Fernandes, Ricardo Chéu e Rui Correia.

Desejamos a melhor sorte e um excelente trabalho ao novo treinador neste desafio importante para todos nós.

sábado, dezembro 25, 2010

Feliz Natal

Feliz Natal a todos os Académicos, e que o melhor de 2010 seja o pior de 2011 para a nossa mágica Briosa! Esperamos um ano cheio de alegrias e de bons momentos!

terça-feira, dezembro 21, 2010

Jorge Costa explica-se

Jorge_Costa2À Académica,

É difícil esta missão de me dirigir a vós neste momento. Não são muitas as palavras que terei a dizer para justificar esta minha decisão, mas sinto o dever de vos deixar uma mensagem de despedida, tantos foram os bons momentos que passei em Coimbra.

Antes de mais, quero dizer-vos que não estou a deixar a Académica. Estou a deixar o futebol.

Por motivos estritamente pessoais que não me permitem continuar a actividade profissional que mais me realiza, hoje anuncio com grande tristeza que deixarei de treinar equipas de futebol. Não deixo apenas de ser treinador da Académica, deixo de ser treinador de futebol.

Neste momento, quero registar o orgulho pelo desempenho desportivo da minha equipa, o qual tenho de agradecer aos meus jogadores e aos restantes membros da equipa técnica, que sempre me apoiaram, compreenderam e potenciaram o meu trabalho. A todos eles desejo as maiores felicidades pessoais e profissionais.

Não posso deixar de pedir desculpa ao Presidente da Académica, dirigentes, equipa técnica, jogadores e demais funcionários. Aos Sócios e aos adeptos... Para com todos eles fico em dívida, uma dívida que jamais poderei saldar.

Por fim, quero registar o grande privilégio que foi para mim treinar a Académica. Num momento difícil como este, dá-me um certo conforto saber que treinei este clube e guardarei para sempre todos os bons momentos que me proporcionaram.

Um abraço a todos e muito sucesso, dentro e fora das quatro linhas…

    Jorge Costa

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Jorge Costa abandona a Académica

Por motivos pessoais, alega o jornal a Bola, o mister da Briosa deixou o plantel que liderava desde o início desta temporada. A decisão foi conversada com o presidente da Académica, José Eduardo Simões, após ausência do treino desta manhã.

Pessoalmente não considero a atitude correcta: apesar dos dois últimos jogos terem sido derrotas pesadas, via o desempenho da Briosa nesta temporada com bons olhos. Agora teremos de esperar para ver.

(21 de Dezembro, 15h30) Adenda: Depois da carta de Jorge Costa publicada no site oficial da Académica, tenho a dizer que lamento imenso a sua saída prematura do futebol e que lhe agradeço todas as alegrias desta época. Desejo que tudo lhe corra bem e que esteja connosco para partilhar as alegrias que surgirão a partir de agora. Obrigado por tudo, mister!

sábado, dezembro 18, 2010

Quo vadis, Académica?


Em época Natalícia, a Académica brindou o Sporting Clube de Braga com 5 presentes. Cinco falhas defensivas, cinco golos, mau de mais.

Não sei de quem é a culpa, não sei a quem apontar o dedo. No fundo acho que é de todos: os laterais parecem portagens da Via Verde, os centrais andam distraídos, o guarda-redes faz o que pode (e, esse, não tem culpa), não há meio-campo e o ataque é ineficiente. Faz-nos falta um verdadeiro número 10, um líder no meio-campo, alguém que faça a transição defesa-ataque. E precisamos urgentemente de reforçar a defesa, precisamos do Berger de volta, precisamos de defesas laterais com capacidade.

Acima de tudo, é necessário calma, inspiração, orgulho e juízo. Mister, temos de nos preparar melhor para os jogos, precisamos voltar à boa forma, precisamos da Briosa de volta.

Acredita, Académica!

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Mau demais

Estar a perder em Braga por 3-0 ao intervalo é mau. Da maneira como a equipa está a jogar é muito pior.

quarta-feira, dezembro 15, 2010

Setúbal na Taça de Portugal

Se a Briosa conseguir ultrapassar o União da Madeira (ou o Bombarrelense ou o Louletano, consoante aquilo que a Justiça desportiva decidir) irá receber o Vitória, da cidade de Setúbal, na próxima eliminatória da Taça de Portugal.

Os outros jogos dos quartos de final da Taça são:

Rio Ave a receber o Benfica ou Olhanense
Merelinense/Varzim/Cova da Piedade/Gondomar ou Ribeirão recebem o V. Guimarães
Porto a receber o Pinhalnovense

Momento de serenidade

“Quem vier a seguir” terá a vida mais facilitada

Presidente da Académica deixou implícito que não se vai candidatar às próximas eleições
José Eduardo Simões deu ontem a entender que não se vai recandidatar nas eleições para a Direcção da Académica que se vão realizar no próximo ano. Em Lisboa, durante uma homenagem a António Marques – que recentemente lançou uma fotobiografia – o presidente da Briosa começou por recordar todo o seu percurso na Académica, frisou o número de futebolistas que se licenciaram neste período e disse que «quem vier a seguir» terá a vida muito mais facilitada uma vez que o clube se encontra numa situação bem mais estável financeiramente do que aquela que encontrou quando João Moreno sucedeu a Campos Coroa.
Simões, que lidera a Briosa desde Janeiro de 2005, disse mesmo que aquele momento seria provavelmente o último em que estaria presente na qualidade de líder máximo da Académica/OAF numa sessão levada a cabo pela Casa da Académica em Lisboa. A terminar, Simões agradeceu ainda o apoio que lhe tem sido dado pela sua mulher também num conjunto de iniciativas promovidas pela Académica, como têm sido os vários intercâmbios com clubes ou instituições de ensino em Inglaterra.
O presidente da Académica falava no final de um jantar de homenagem a António Marques promovido pela Casa da Académica em Lisboa (CAL), em que também discursaram Daniel Sanches, presidente da CAL, José Henrique Dias (que apresentou a obra) além do próprio “Marquês” como era conhecido no futebol o antigo central da Briosa.

Notícia do Diário de Coimbra, com destacado meu. José Eduardo Simões livra-se desta forma das habituais manobras de desestabilização que precedem os actos eleitorais na Briosa.

Esperemos que quem apareça, traga uma ideia para servir a Briosa e não para se servir dela, como aconteceu num passado recente. Quanto ao balanço do trabalho de José Eduardo Simões, digo já a minha opinião – francamente positivo.

terça-feira, dezembro 14, 2010

Hoje – Lançamento do DVD “Futebol de Causas”

futcaus_cartaz_hg

Futebol de Causas é um documentário que pretende mostrar o movimento estudantil e crises académicas pelo ponto de vista dos jogadores da Académica e a forma como estes contribuíram e se envolveram na luta enquanto estudantes e Homens.

A Académica tinha-se transformado numa bandeira viva da luta estudantil e deu voz ao acordar de um povo, sendo o seu ‘toque a reunir’. Foi de resto com o luto académico, em plena ‘crise de 69’, que se viveu o ponto mais alto da posição de força estudantil com a presença da Académica na final da Taça de Portugal, na qual os jogadores, também eles estudantes e parte activa na militância da causa estudantil, aderiram ao projecto, tornando aquela final no Estádio Nacional no maior comício de sempre contra o regime. As figuras centrais do documentário são os dirigentes estudantis e os jogadores da década de 60, directamente envolvidos no processo.

Depois da presença em diversos Festivais, o  DVD irá ser lançado hoje, às 19:00 no Still Is, ali junto ao Papa. A não perder.

domingo, dezembro 12, 2010

Balanço provisório

Pessoalmente entendo que estes balanços a meio da época pecam sempre por se estarem a comparar realidades algo diferentes, nomeadamente os adversários defrontados e se os jogos realizados foram em casa ou fora.

Mas uma vez que este fim de semana, por vontade alheia, a Briosa não joga, fui ao site da Liga comparar a nossa prestação com a das últimas quatro épocas e obtive este resultado:

image

Um ataque muito mais profícuo, que permitiu aumentar significativamente o número de vitórias traduzindo-se na melhor classificação dos últimos anos. Quanto à defesa, com o resultado desastrado do último jogo, ficou em linha com os piores resultados obtidos.

Esperemos agora que os dois jogos que faltam para o final da primeira volta – Braga (f) e Paços (c) – fiquem marcados pelo espiríto vencedor demonstrado no início da época. Relativamente ao próximo jogo, pode existir algum optimismo, proque apesar de a deslocação ser dificil, a Briosa ainda não perdeu dois jogos seguidos esta época.

image

quarta-feira, dezembro 08, 2010

Discurso directo

jorgecosta7Tudo correu mal para nós e o Marítimo foi tremendamente eficaz. Não entrámos bem no jogo e depois sofremos um golo de grande penalidade que nos obrigou a mudar.

No final da primeira parte tivemos uma ou duas oportunidades mas não conseguimos marcar. Na segunda, assumimos riscos, mas sofremos dois golos e ficámos perdidos em campo, e mesmo com o golo que marcámos, a tendência era só para piorar. Houve, da nossa parte, uma grande falta de organização, e talvez de orientação. Há derrotas que marcam. Eu não sou dos que pensam que as derrotas e as vitórias valem sempre, apenas, três pontos. Esta derrota vai marcar, até porque eu faço questão que marque. Mas vamos ter capacidade de reacção. Eu hoje sinto-me um treinador envergonhado e acredito que os jogadores também se sentem assim, porque a Académica não é isto. Mas não é por causa de 45 minutos horríveis que vou perder a confiança, nem é isto que vai apagar o que temos feito até aqui. Penso que hoje sofremos um acidente de percurso. E é nestas alturas que se vêem os grandes jogadores e grandes homens, que são os que conseguem dar a volta a uma situação difícil. Hoje eu sou o primeiro grande culpado pelo que aconteceu, da mesma forma que serei o principal responsável por darmos uma boa resposta depois disto. Assobios? É para o lado que durmo melhor.

Jogadores da Briosa de folga

Não há grandes palavras para descrever o jogo de hoje. Cinco golos sofridos contra um adversário que estava perfeitamente ao alcance da equipa da Briosa parece estranho, mas quem viu o jogo, não estranhou tanto. Sem ritmo, nem intensidade, os jogadores da Briosa trocavam a bola ao ritmo com que se anda a passear no Centro Comercial à procura de prendas.

O primeiro golo resulta de um penalty cavado por Djalma que soube aproveitar a ingenuidade/distracção/displicência (risque o que não interessar) de Nuno Coelho.

A perder por 1-0 ao intervalo, Jorge Costa arriscou tudo. Mudou sistema táctico, trocou jogadores e passou a jogar no risco. Só que Orlando não estava para aí virado. Num lance que tinha tudo para ser inofensivo, Orlando deixa Baba cabecear sem oposição para fazer o 0-2. Sentiu-se o desânimo dos jogadores da Briosa que deixaram de acreditar. Nada mais de interessante se passou no jogo, a não ser o Marítimo que, em contra ataque, marcou mais 3 golos e Miguel Fidalgo que marcou o seu tento de honra. Houve ainda oportunidade para ver Sissoko e Carreño em acção.

terça-feira, dezembro 07, 2010

Briosa não joga no domingo

É esse o título da notícia colocada no site oficial da Académica. Em fim-de-semana de Taça de Portugal, a Académica não jogará por não saber ainda quem é o seu adversário para esta jornada.

Recorde-se que o adversário da Briosa para a Taça de Portugal é uma destas equipas:
  • Bombarralense
  • Louletano
  • União da Madeira
Contudo, está a decorrer um processo disciplinar instaurado ao Bombarralense e ao Louletano e enquanto tal não for resolvido, não se saberá qual o adversário oficial da AAC/OAF nem quando decorrerá a partida dos oitavos-de-final desta competição.

segunda-feira, dezembro 06, 2010

Não há desculpas.

Quarta-feira é dia de Académica x Marítimo.

Já se sabia que a Mancha Negra estava a vender bilhetes a 2€, mas agora é a vez da Direcção da Briosa tomar uma atitude positiva e oferecer bilhetes a quem for de capa e batina ao jogo.
Os estudantes universitários que se apresentarem de capa e batina no jogo entre a Académica e o Marítimo terão entrada gratuita no Estádio Finibanco Cidade de Coimbra. Para isso, apenas terão de se dirigir à Porta 7A, na Bancada Nascente Inferior, para poderem entrar no recinto e assim assistir gratuitamente ao encontro entre os “estudantes” e os insulares.

Portanto não há desculpas, adiem as compras de Natal mais uns dias, não fiquem em casa a ver filmes no sofá e venham aquecer o ambiente no Estádio e apoiar a Académica!

Brincadeira de mau gosto

Duvido muito que seja verdade que se ande a pensar numa Liga Ibérica. Por um lado, porque os espanhóis pouco ou nada têm a ganhar. Por outro lado, porque os portugueses têm tudo a perder, senão vejamos:

1. Receitas televisivas – um clube como a Briosa teria, caso ficassse na I Divisão, uma aumento brutal nas receitas televisivas. Mas o foco está no “teria”. Se na organização do Mundial as coisas foram decididas numa base 70/30, nada leva a crer que na tal Liga conjunta não se usasse esta métrica, ou seja, 6 equipas portuguesas e 14 espanholas integrariam a Primeira Divisão. Ora a Briosa, não tem ficado nos seis primeiros lugares, logo o seu Destino seria a Segunda Divisão. As perspectivas de subida no ano seguinte, também não seriam muitas.

2. Sócios, público, bilheteira – numa Segunda Divisão da LIga Ibérica duvido que algum destes itens aumentasse.

3. Competições europeias – Este é o principal motivo porque penso que tal Liga nunca avançará. Os clubes que habitualmente vão à Champions veriam os seus lugares ocupados por Barcelona e Real Madrid. Para a Briosa que acalenta a esperança de voltar a uma competição europeia, teria de resignar-se a lutar por subir de Divisão.

Por estes motivos, espero que a notícia seja de uma brincadeira de mau gosto. Pelo futebol da Briosa, mas acima de tudo pelo futebol nacional.

domingo, dezembro 05, 2010

Académica x Marítimo

Ficou acordado que a partida decorrerá na quarta-feira, 8 de Dezembro, pelas 15h30. Os bilhetes comprados até agora mantêm-se válidos para quarta-feira.

Esperemos que esta mudança tenha consequências positivas: que esteja melhor tempo na quarta-feira, que possa ir mais gente ao jogo e que a Académica esteja mais inspirada, mais concentrada e mais concretizadora.

Força Briosa!

sábado, dezembro 04, 2010

Jogo adiado

Está confirmado o que já se esperava. Depois de se saber que a equipa do Marítimo não conseguiu partir hoje da Madeira, por mau tempo, o site oficial da Académica avisa que o jogo marcado para amanhã às 16h, a contar para a 13ª jornada da Liga Zon Sagres, foi adiado.

A nova data ainda não foi anunciada.

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Visão Táctica

O Visão de Mercado publicou uma Análise Táctica sobre a equipa da Briosa, da autoria de Álvaro Costa e publicado no Visão de Mercado. Trabalho rigoroso, em que apesar de discordar pontualmente de algumas questões, acho que merece ser re-publicado aqui. Não deixem contudo de visitar o blog, e para quem aprecia, ver as Análises Tácticas que já foram feitas às outras equipas da Primeira Liga.

Visão Táctica: Académica (por Álvaro Costa / Visão de Mercado)

Dando continuidade à nossa rubrica dedicada à vertente táctica, esta semana vamos abordar a Académica, a turma de Jorge Costa que ocupa neste momento um excelente 5º lugar na Liga Zon-Sagres. A análise terá como base principalmente os últimos jogos, apesar das inevitáveis referências à globalidade da presente temporada.

A equipa dispõe-se num 4x3x3 com um triângulo composto por um trinco (trinco mesmo e não pivot) e dois médios interiores à frente. Apresenta um trio ofensivo muito dinâmico e perigoso. É também aqui que “mora” o jogador que faz com que varie para um 4x4x2. Sougou, joga pelo lado direito mas muitas vezes faz diagonais em velocidade para o espaço entre o lateral e o central adversário o que faz com que ele se aproxime e passe a jogar de perfil com Miguel Fidalgo. O conjunto de Coimbra varia também para um 4x1x4x1 com o recuar dos alas que se aproximam dos médios. Esta variante dá mais segurança e consistência à equipa.

A Académica tem no meio campo o jogador mais importante no funcionamento da sua dinâmica, Nuno Coelho, é no seu habitat (casa táctica) que a equipa o procura sempre procurar o seu equilibrio para nunca perder o seu sentido táctico. Nuno Coelho tem como função principal destruir e equilibrar a equipa mas também saber sair a jogar sem nunca … sair. Quando a equipa tem bola ele faz apenas passes curtos e normalmente para variar o sentido da bola. Tem uma recepção orientada excelente o que lhe permite simplificar este processo de receber e dar.

Equipa (com bola):

Joga numa posse objectiva sempre com o objectivo de queimar espaço e ignorando por vezes todas as fases de construção. Quando joga em posse tenta sempre jogar a um ritmo intenso, a bola roda de jogador para jogador a dois, três toques e sempre de forma a tentar criar espaços rapidamente. A bola muitas vezes percorre diagonais (extremo, interior, extremo contrario). Na 1ª fase de construção Nuno Coelho conduz a bola nos primeiros metros, mas logo a seguir entrega a um dos interiores que se aproxima dele (Hugo Morais ou Diogo Melo) e um destes então serve de transportador. Aqui começa a dinâmica ofensiva da Académica.

Equipa (sem bola):

Quando a equipa está sem bola, também o sabe fazer. Muda o chip sem perder o seu fio condutor. Agressividade, é a palavra que a melhor define a defender. Pressiona alto e num pressing destrutivo (a pressão é feita com o intuito que ao recuperar a bola a equipa esteja de frente para o jogo). Deixa sair o adversário numa 1ª fase de construção mas depois sobe as suas linhas e pressiona em bloco. Esta pressão torna-se mais intensa nas laterais onde a equipa tenta matar a jogada sempre com 3 jogadores a pressionarem o portador da bola. Este processo defensivo serve também como protecção para se defender das suas maiores debilidades, que são: o espaço entre as linhas defensivas e medias.

Defesa

Se Amoreirinha, Orlando ou até Berger disfarçam porque tem uma aceleração razoável, já Luís Nunes é um jogador lento mas que compensa com jogo aéreo , força e poder de corte. Não fazem jogo de pares mas tem um poder de antecipação muito bom. Talvez a conexão entre os defesas sejam o maior problema desta equipa. Na baliza, Peiser demonstra bons reflexos que fazem dele um grande guarda-redes entre os postes mas a sair demonstra algumas deficiências. Os laterais procuram sempre dar profundidade ao corredor, principalmente na esquerda por Hélder Cabral, na direita Pedro Costa com menos apoio de Sougou, acaba por ser menos interventivo ofensivamente.

Meio campo

Temos três jogadores, Hugo Morais que procura mais vezes o passe longo e uma construção de jogo maior, gerindo também os tempos de jogo, Diogo Melo que é um médio mais trabalhador e joga próximo de Nuno Coelho, conseguindo igualmente dar algum apoio ao lado direito. E Nuno Coelho, que tem um papel preponderante no equilíbrio da equipa. Quando um dos laterais sai para pressionar na lateral, o central aproxima-se da ala e é Nuno Coelho que equilibra a defesa. É neste momento que ele se torna fulcral no equilíbrio da equipa. Os extremos descem quando não tem bola e depois do adversário ter entrado na 3ª fase de construção,  a equipa báscula mas fracamente, pois os interiores por vezes jogam demasiado distantes um do outro (se jogar contra uma equipa larga tem dificuldades).

Ataque

Nos corredores laterais também temos dinâmicas diferentes, enquanto na direita se vive muito da profundidade , velocidade e explosão de Sougou que varia os seus movimentos verticais com movimentos de profundidade , o apoio quase nunca aparece do lateral mas sim de Diogo Melo, que se aproxima. No lado esquerdo temos Diogo Valente, que faz um jogo posicional (procura dar mais largura do que profundidade) diferente de Sougou, aproxima-se mais vezes do meio mas para uma zona de construção terciária ao contrario de Sougou que faz para a zona de finalização e que obriga Miguel Fidalgo a aproximar-se mais do segundo poste. Diogo Valente porem faz as diagonais também para arrastar marcações abrindo espaços para a entrada de Hélder Cabral que dá profundidade ao corredor. Diogo Valente é exímio nos cruzamentos que tira. No centro de ataque a equipa tem um ponta de lança puro, Miguel Fidalgo é um jogador de movimentos verticais, não é muito móvel nem rápido mas é muito inteligente na forma como se movimenta na área. Tem uma relação com o golo muito boa.

Transições
Defesa - Ataque: Quando recupera a bola tenta logo um passe vertical aproveitando a velocidade dos extremos, saem 4 jogadores em profundidade - transição vertical. Varia esta transição com a apoiada, primeiro passe para um dos interiores e parte para um contra ataque num movimento colectivo.

Ataque - Defesa: Pressiona alto para recuperar bola onde a perde, os avançados pressionam logo, os médios sobem as linhas para encurtar a equipa e o lateral volta para a sua posição.

Bolas Paradas
Ofensivas: Põe 5 homens na área,1 ao primeiro poste, e os outros quatro estão na linha de grande área, partindo depois em diagonais para o 1º ou 2º poste.

Defensivas: Defende com 9 homens, deixa um encostado ao 1º poste mas aquela zona está algo desprotegida, preferindo sobrepovoar a zona central, porem falta-lhe alguma agressividade sobre a bola. Marcação é totalmente zonal.