quarta-feira, dezembro 28, 2005

Ano Novo - Vida Nova

Marcel diz definitivamente adeus
Muito se tem especulado sobre a saída de Marcel. O jogador despediu-se, e começou a forçar a saída. Do lado da Direcção, primeiro o silêncio, esperando que o empresário mandasse calar o jogador. Como isso não aconteceu, alguém teve de falar. Gervásio mandou calar Marcel, lembrando que falar demais podia estragar o negócio.

Marcel ouviu (leu) e calou. Porque sabe que o negócio está por dias. Dia 1 de Janeiro, Marcel deve vestir nova camisola e fazer capa de jornal. A guerra anda em surdina entre Benfica e Porto, e se Marcel falar muito arrisca-se a que os dois clubes digam publicamente que não estão interessados.

Para estes grandes clubes, Marcel é um jogador interessante. Jogador fixo, goleador e que já fez a sua habituação ao futebol português.

Do lado do FCP, a saída de Postiga e a ida de McCarthy para a CAN, abriam vagas na frente de ataque, que não podiam ser tapadas apenas com Hugo Almeida. A súbita recusa de McCarthy poderá fazer mudar de ideias a Administração da SAD portista, mas esta também é conhecida por comprar em excesso, nem que seja para dar "bicadas" nos adversários.

Ora e é aí que entra o Benfica. O jogador até se encaixa no perfil "alto e espadaúdo" procurado na Luz. Marcel é de longe muito melhor do que Karadas cujo regresso foi equacionado há dois meses. Só que nisto do futebol, e com José Veiga a negociar, nunca se sabe se o interesse é real, ou se é apenas maneira de provocar os apetites do FCP e aumentar o preço.

Claro que tudo irá depender do real interesse dos clubes e do seu orçamento. Os dois clubes não desdenhariam pagar com jogadores (a título definitivo ou emprestados), mas o passe pertence a investidores e estes só querem dinheiro.Além do mais há clubes europeus também à espreita, o que faz com que as negociações possam vir a subir.

Da parte da Direcção da Briosa, a posição parece ser simples: ou sai de acordo com o valor da claúsula de rescisão ou não sai. Entretanto já se anda à procura de um substituto para o caso de vir a ser preciso.

Nuno Piloto
A situação de Nuno Piloto complicou-se surpreendentemente para a Direcção. De jogador pouco utilizado, passou a ser peça fundamental no xadrez de Nelo Vingada, e a ganhar confiança a cada jogo que passa. No último jogo que começou no banco, entrou para o meio campo e acabou a fazer de central. Acaba o contrato daqui a seis meses, e com a licenciatura concluída (i.e. com menos esta amarra a Coimbra), pode revelar-se um caso complicado

Zé Castro
Já foi um caso complicado. Agora está muito claro. Zé Castro disse definitivamente que não a qualquer acordo, e só muito dificilmente voltará a vestir a camisola da Briosa para o ano. A Direcção já interiorizou esse facto e já nem sequer apresentou resposta à última contra-proposta por parte do jogador. Este, está decidido a sair, e tendo visto fechadas as portas do seu clube do coração, bem como do grande onde desejava jogar, equaciona seriamente a hipótese de ir jogar no estrangeiro. A Direcção vai tentar antecipar a saída, mas só se o clube agradar a Zé Castro, terá alguma sorte. Este já só quer pensar na Selecção sub-21, e poderá torcer o nariz a sair para um clube maior nesta altura, onde poderá ter menor probabilidade de continuar a jogar regularmente.

Conclusão
Haverá também algumas dispensas, mas de momento há poucos interessados e como tal, não são a principal prioridade. Só para o meio de Janeiro se saberá alguma coisa.

De resto, dos assuntos mais importantes o que sei, é que se no dia 1 não sair a tal capa de jornal, o Marcel vai ficar inquieto. E começarão a chover recados e pseudo-propostas nos jornais, para criar mau ambiente e levar a Direcção a sentir-se tentada a baixar o preço. O que duvido venha a acontecer.

Por ora está tudo nas mãos de um homem - o empresário de Marcel. Eu por mim, vou ficar de cadeirão à espera da tal capa de jornal. Só depois disso voltarei ao assunto.

Entretanto, boas festas e um bom ano de 2006.

segunda-feira, dezembro 26, 2005

Golos dos jogos da Briosa

Numa algura em que passa pouco futebol na televisão, achei por bem, colocar aqui alguns dos momentos de alegria e sofrimento que aconteceram esta época.


J6: Académica 2 - Gil Vicente 0
1 x 0 - Fernando (21m)
2 x 0 - Joeano (90m)

J7: Sporting 0 - Académica 1
0 x 1 - Marcel (28m)

J8: Académica 1 - U. Leiria 3
1 x 0 - Marcel (8m)
1 x 1 - Ferreira (25m)
1 x 2 - Fábio Felicio (77m)
1 x 3 - Ferreira (80m)

J9: Penafiel 1 - Académica 0
1 x 0 - Bruno Amaro (77m)

J10: Académica 1 - V. Guimarães 0
1 x 0 - Marcel (14m)

J11: FC Porto 5 - Académica 1
1 x 0 - Lucho González (10m)
2 x 0 - Lisandro López (19m)
3 x 0 - César Peixoto (70m)
4 x 0 - Lisandro López (76m)
5 x 0 - Lucho González (90+3m)
5 x 1 - Marcel (90+4m)

J12: Académica 1 - E. Amadora 0
1 x 0 - Marcel (76m)

J13: Naval 0 - Académica 1
0 x 1 - Hugo Alcântara (40m)

J14: Académica 2 - Rio Ave 2
0 x 1 - Chidi (22m)
1 x 1 - Danilo (54m)
1 x 2 - Gaúcho (56m)
2 x 2 - Marcel (90m)

J15: Sp. Braga 2 - Académica 0
1 x 0 - Nunes (31m)
2 x 0 - João Tomás (64m)

J16: AAC 0 - Setubal 1
0 x 1 - Meyong (46m)

Cromos de outros tempos

   

Numa altura em que o campeonato parou, vale a pena olhar para algum passado. No blog Cromo dos Cromos recorda-se o tempo em que o futebol levava gente aos estádios. Vale a pena visitar.

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Palhaçada

É só o que me apetece dizer depois do que vi ontem. Mau demais para ser verdade. O ror de culpados é tanto que é dificil encontrar o maior. Desde uma péssima arbitragem, a decisões tácticas incompreensíveis e terminando em jogadores que pura e simplesmente andaram a dormir.

O árbitro fez gala em não apitar nenhuma falta que fosse desfavorável aos forasteiros. Assim fosse na zona em frente à area, qulaquer jogador da Briosa podia ser atropelado que nada aconteceria. Esta linha de critério manteve-se até ao final do jogo, onde os jogadores de Belem se sentiram tão confortáveis que começaram a cortar lances com a mão. E pelo resultado fizeram bem, uma vez que nem na grande área isso foi sancionado.

Nelo Vingada desiludiu-me por completo. Lançar Hugo Alcântara aos 65 minutos e pô-lo a jogar a ponta de lança é passar um atestado de incapacidade a Gelson e a Joeano. Se quanto ao primeiro eu até entendo, quanto ao segundo não percebo. Devia ter jogado de início (ao contrário de Pedro Silva, lateral direito que jaga em todo o lado menos na sua posição), e devia ter entrado para voltar ao jogo. Se Hugo era importante, então devia ter jogado de início.

Outra substituição incompreensivel foi a entrada de Zada, numa altura que a AAC fazia futebol directo para Marcel e Hugo.

Quanto a jogadores, continuam as avendidas entre Nuno Luís e Zé Castro. Aliás o golo do Belenenses resulta duma bola (estupidamente) perdida por Paulo Adriano, que depois é endossada para a já citada Avenida, onde aparece Meyong para fazer um chapéu a Pedro Roma que não teve culpa alguma.

Aliás, Paulo Adriano nos minutos seguintes perde completamente a cabeça e faz mais três passes completamente desastrados. Saiu aos 53 minutos e entra Nuno Piloto que faz uma bela exibição. Ocupando diversas posições (acabou a central num derradeiro esforço da Briosa chegar ao golo).

Pela negativa também destaque para Ezequias e Luciano que raramente conseguiu ganhar a Vasco Faísca, o defesa esquerdo da turma de Belém.

Pela positiva, tivemos Pedro Roma que nega o golo a Sousa, aos 11 minutos, e a Meyong, aos 25 e 47, em remates à queima-roupa. Destaque para Marcel que se esforçou bastante, vendendo cara a derrota.

Por último uma palavra ao público. Ter 6 mil espectadores com bilhetes a um euro é ridículo.

Adenda: Video do Golo (0 x 1 - Meyong aos 46m)

segunda-feira, dezembro 19, 2005

Não há desculpas ....

1. para não ir à bola, e
2. para não jogar para ganhar...

O jogo contra o Belenenses, é quarta feira, dia 21, às 19:00 no Estádio Cidade de Coimbra.

Há mil e uma maneiras de ir à bola sem pagar (quase) nada. Uma delas é a iniciativa conjunta da direcção do clube, da empresa TBZ e da Associação de Promoção da Baixa de Coimbra, onde são disponibilizados, a partir de hoje, bilhetes gratuitos a quem optar por fazer compras de Natal na baixa da cidade. Creio ser mais do que suficiente, mas há outra onde a aquisição de um bilhete dá direito a mais quatro convites... Enfim, tudo aliciantes para numa altura onde o dinheiro não abunda, não haja desculpas para não se ir ao futebol.

Quanto ao jogo em si, basta olhar para os últimos (6)resultados de ambos os conjuntos:

AAC
3 Vitórias: Naval (fora), Estrela e Guimarães
1 Empate: Rio Ave
2 Derrotas: Braga (fora) e Porto (fora)

Belenenses
2 Vitórias: Paços e Nacional
2 Empates: Benfica (fora) e Boavista
2 Derrotas: Setúbal (fora) e Marítimo

A Briosa perdeu com equipas de outro campeonato e o pior resultado recente, foi o que aconteceu no jogo com o Rio Ave, que terminou empatado a 2 bolas.

Os Belenenses têm uma carreira mais irregular, não sendo capazes de marcar golos fora de casa. No entanto já se viu que basta um canto ou um livre para marcar um golo à Briosa.

O ano passado empatámos a uma bola, este ano seria importantíssimo vencer, até porque dos 4 pontos que Vingada pedia nestes duas jornadas, já só há 3 em disputa.

Vamos ao Estádio, com a certeza que faremos tudo para vencer.

domingo, dezembro 18, 2005

A Briosa perdeu em Braga

O resultado em si não é surpreendente, mas surpreendem os erros básicos que a fundamentam. A Briosa sofreu dois golos em lances de bola parada, dois golos de cabeça numa equipa que jogou com Alcântara, Zé Castro, Danilo (e Marcel nesses lances). Mau demais para ser verdade. Falta de treino, caro professor. Falta de treino.

Roma foi o melhor em campo e Ezequias o pior.

terça-feira, dezembro 13, 2005

Mercado de Inverno

O mercado começa a agitar-se também em Coimbra.

Lira -jogador que começou bem a época viria a perder pouco depois a titularidade. Havendo quem argumentasse que foi devido a problemas de indisciplina num treino da equipa, o facto é que não mais constituiu opção para o 11 principal da Briosa.
Agora regressa ao Brasil, um ano, emprestado ao Botafogo, para resolver "problemas pessoais". Regresso estimado em Dezembro de 2006, tendo ficado o Botafogo com direito de opção.

Marcel - Depois do Bétis e de mais um ror de clubes, hoje foi a vez de ser "vendido" ao F. C. Porto. De rodapé falaram também no S.C.P e no S.L.B. Parece certo que vai sair, assim haja alguém que pague os 3.5 Milhões de euros que é o valor da claúsula de rescisão. A quem tanto o critica, Marcel vem provando dentro de campo que não é um mau investimento.

Zada - Fortemente pretendido por clubes brasileiros, fez a sua estreia a titular, num jogo onde pareceu que Nelo Vingada quis tirar a limpo se o jogador serve ou não para o plantel principal. Da avaliação do Professor nada se sabe, mas não surpreendia muito que saísse. Os próximos dois jogos poderão ser decisivos.

Zé Castro - Será a última oportunidade de a Briosa ganhar algum dinheiro com este jogador que já ninguém acredita que para o ano vestirá a camisola da Briosa. Quando sair, deixará muitas saudades.

Agenda pré-Natal

Sábado (17 de Dezembro)
Sp. Braga-Académica - 17:00 (SportTV)

Quarta-feira (21 de Dezembro)
Académica-Belenenses - 19:00

domingo, dezembro 11, 2005

Mais um ponto

Mais um ponto ganho em período de descontos, é o prémio de uma Briosa que sabe acreditar até ao fim.

O autor do último golo, obtido já em período de descontos, foi Marcel, na conversão de uma grande penalidade que foi feita sobre Hugo Alcântara que na altura jogava (mais uma vez) a ponta de lança.

A Académica assistiu à estreia de Zada na equipa titular, com Filipe Teixeira no lado esquerdo e Danilo no lugar de Zé Castro. De resto todos nos lugares do costume.

Durante a primeira parte assistiu-se a um jogo mastigado e no seguimento da jogada mais perigosa da AAC, o Rio Ave, em três toques colocou a bola em Chidi e atirou para o fundo da baliza de Pedro Roma.

A Briosa reagiu com um grande remate de Zada que passou a 20 centímetros ao lado da baliza de Mora,mas poucomais soube fazer na primeira parte.

Na segunda parte o Rio Ave vinha com uma estratégia miserável. Anti-jogo, anti-jogo, anti-jogo, com a conivência do árbitro que só aos 82' mostrou um cartão amarelo por tempo demorado na marcação de uma falta quando isso já vinha acontecendo desde o intervalo.

Mas voltemos ao jogo. Primeira ameaça de Marcel (52') para no minuto seguinte Danilo marcar um belo golo de cabeça a corresponder a um excelente livre marcado por Zada.

Pensava-se que a AAC estaria lançada para a reviravolta, quando 3 minutos depois o Rio Ave volta a adiantar-se. Uma jogada que começou num lançamento de linha lateral do lado direito do ataque do Rio Ave, e aparece isolado Gaúcho, na pequena área, que facilmente superou Pedro Roma. Culpas repartidas por Nuno Luís e Danilo.

O anti-jogo do Rio Ave aumentou, e Nelo Vingada mexe na equipa. Tira Brum por Nuno Piloto e Paulo Adriano por Fernando.

A Briosa continua a pressionar, beneficiando da expulsão de um jogador do Rio Ave aos 62'. O Rio Ave pôs em campo todo o seu manancial de anti-jogo, e a primeira farsa da tarde. Nuno Luís joga a bola, o jogador do Rio Ave atira-se para o chão na linha limite da grande área e o árbitro (Rui Costa do Porto) marca penalty. Se a falta era duvidosa, o local era claro: fora da área.

Chamado a marcar Evandro não foi capaz de ultrapassar Pedro Roma, que juntou essa grande defesa a uma outra que tinha feito 5 minutos antes. Voltar a acreditar. Faltavam 8 minutos mais os descontos que o árbitro viesse a conceder.

Apenas com Nuno Luís mais recuado na defesa, tudo o resto se acantonava no meio campo do Rio Ave. Até que em período de descontos Hugo Alcântara é atropelado por um jogador do Rio Ave, e o árbitro assinala a marca de grande penalidade.

Mora tenta desconcentrar Marcel, mas o segundo melhor marcador da Liga portuguesa rematou certeiro para o fundo das redes.

2-2, o resultado final, Briosa em 9º lugar com 17 pontos.

Próxima jornada, dia 17, Sp. Braga-Académica, às 17:00.

sexta-feira, dezembro 09, 2005

Zé Castro de fora

Zé Castro não recuperou da contractura sofrida no domingo passado, ficando de fora do embate com o Rio Ave. A substitui-lo deve entrar Danilo que tão boa conta de si tem dado nos jogos em que tem sido chamado.

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Mais uma manobra da Direcção, em conluio com a TBZ ...

... para levar gente ao estádio.

Bilhetes a 5 euros para toda a gente. Domingo, dia 11, às 16:00 contra o Rio Ave.

A ver se "despedimos" o terceiro treinador deste ano.

terça-feira, dezembro 06, 2005

domingo, dezembro 04, 2005

Bela vitória da briosa

Num jogo em que Nelo Vingada começou a inventar com três centrais, a Briosa consegue arrancar uma vitória por 0-1, no sempre difícil (e hoje particularmente complicado) campo da Naval.

Com a lesão de Zé Castro, Nelo Vingada vê-se forçado a mexer na equipa e entra Gelson para médio defensivo. Com a substituição, a equipa fica mais equilibrada e começou a pressionar mais o adversário.

O golo surge numa jogada de insistência e foi da autoria de Hugo Alcântara (belo regresso) aos 40 minutos da primeira parte.

Na segunda parte, maior pressão da Naval, mas curiosamente os seus lances mais perigosos surgiram de jogadas de contra-ataque, com o meio campo da AAC (em particular Gelson) a perder muitas bolas.

No último minuto de jogo, o golpe de teatro ia aparecendo. Gelson perde infantilmente uma bola no meio campo e não fosse o corte providencional de Danilo, e teríamos perdido dois pontos.

Brum encheu o meio campo, fazendo recordar os melhores momentos da época passada. Roma soube transmitir a segurança que era precisa nos momentos importantes. Destaques positivos para Hugo Alcântara, Danilo (que tem correspondido nos últimos jogos, jogando prático e eficaz sem inventar), bem como Filipe Teixeira (na primeira parte).

Próximo jogo: em casa, domingo dia 11, 16:00, a receber o Rio Ave.

quinta-feira, dezembro 01, 2005

Marcel de saída em Janeiro (?)

Numa altura em que Marcel marca um grande golo que dá 3 pontos, (e que podem ver aqui, dica do nosso leitor MoCa), o empresário lembrou-se de levantar lebres para valorizar o atleta.

Segundo ele, Marcel é pretendido por seis clubes europeus e pelo Cruzeiro de Belo Horizonte .

Sabendo que o passe não é todo da AAC, e perante a possibilidade de mais valias importantes para o clube e para o jogador parece ser seguro que a possibilidade de ver Marcel sair em Janeiro é bastante forte.

Bom? Mau? Creio que as dúvidas assaltarão qualquer associado. E sei também que só não erra neste tipo de decisões quem não as tem de tomar.

O que para mim é importante é que a verificar-se a saída do jogador esta seja bem colmatada porque de facto Marcel vem sendo o abono de família de uma equipa que parece ter medo de rematar à baliza. Assim, a saída para o Cruzeiro, vindo dinheiro e o antigo jogador do Nacional, Adriano, parece ser a jogada menos arriscada, uma vez que viria um jogador capaz de suprir a ausência de Marcel.

Sei que Marcel me desespera com alguns falhanços infantis, mas reconheço que só falha quem aparece. A sair que saia quando está em alta. E com contrapartidas, claro.

Federação de Blogs de Futebol

O blog Briosa resolveu aderir à Federação de Blogs de Futebol, (mais) uma louvável iniciativa do BnRB. Ali ao lado, para quem quiser saber mais.